Reproduzir é a nossa Natureza

O novo conceito da Huntington

beijaflor_transpA dedicação do nosso trabalho em busca da realização do desejo de nossos pacientes é algo que vai além do conhecimento técnico e científico da medicina reprodutiva. Pensando nisso, identificamos a oportunidade de desenvolver um novo conceito visual para a marca Huntington.

E essa mudança vai além: é o início de um novo posicionamento da nossa marca para inovar o mercado da medicina reprodutiva.

Por que um Beija-flor?

A Huntington encontrou na natureza uma forma de representar o que fazemos de melhor. Após diversos estudos encontramos a polinização, o processo de reprodução das plantas feito por abelhas, beija-flores, joaninhas, dentre outros.

A polinização é a transferência de células reprodutivas masculinas através dos grãos de pólen que estão localizados nas anteras de uma flor para o receptor feminino de outra flor, da mesma espécie, ou para o seu próprio receptor feminino.

E dentre os animais polinizadores, o beija-flor se destaca por ser uma ave carismática e dona de uma beleza singular. Além disso, temos a feliz coincidência que seu bico nos remete à agulha utilizada na ICSI.

Usar o beija-flor para representar a medicina reprodutiva é, além do paralelo da polinização – ato que representa a reprodução das plantas – com a fertilização, mostrar a possibilidade de enxergar a reprodução assistida de uma forma natural.

Polinização x Fertilização

Beija-flor – Huntington – Agente polinizador

Grãos de pólen – Espermatozoides

Estigma da florÓvulo – Mulher

Algumas flores, assim como alguns casais, dependem de “agentes polinizadores”, como o beija-flor e a Huntington.

No momento em que as dificuldades de reprodução encontram o tratamento ideal, as possibilidades de gerar um filho aumentam. E, para isso, só é preciso uma única força: a sua vontade de ser mãe.