Preservação da Fertilidade em Pacientes Oncológicos

Imagem_Página PreservFertPacOncológicos

Antes do início de um tratamento oncológico (quimioterapia ou radioterapia), a preservação da fertilidade em homens e mulheres é algo muito importante a ser discutido e planejado com o seu médico. Procurar a ajuda de um especialista em reprodução assistida ajudará a entender como sua fertilidade pode ser afetada pós-tratamento e, com isso, planejar seu futuro reprodutivo.

A Huntington criou um programa de atendimento para homens e mulheres em idade reprodutiva que é acompanhado integralmente por um médico de reprodução assistida especializado em oncologia. Para nós, o tratamento oncológico é sempre prioridade e, por isso, juntos, vamos avaliar cada caso com muito cuidado e atenção.

Existem algumas maneiras para preservar a fertilidade de homens e mulheres pré-tratamento oncológico. A escolha do método mais adequado deve ser feita em conjunto com seu especialista, em tempo hábil, sem prejudicar a saúde do paciente.

Hoje, as técnicas de reprodução assistida estão muito avançadas e, no caso de mulheres com câncer, o início do tratamento pode ser feito em qualquer fase do ciclo, sem que haja a necessidade de esperar a próxima menstruação.

Em média, a mulher leva de 10 a 15 dias para preservar sua fertilidade, ao obter óvulos ou embriões, que serão criopreservados, por meio da técnica de criopreservação de óvulos ou embriões. O congelamento de embriões é uma técnica consagrada, muito utilizada para tentativas futuras de gestação por mulheres com relacionamento estável. Atualmente, o congelamento de óvulos, através da técnica de vitrificação, é uma outra opção muito interessante para as mulheres.

Para a maioria dos homens, o tratamento é bem mais simples e, em até cinco dias, podem ser recolhidas e armazenadas 02 ou 03 amostras de sêmen, que permitem uma excelente reserva reprodutiva.

Como preservar sua fertilidade?

  • Criopreservação de sêmen
  • Criopreservação de embriões
  • Criopreservação de óvulos
  • Criopreservação de tecido ovariano
  • Criopreservação de tecido testicular
  • Supressão da função ovariana
  • Transposição ovariana

Como um tratamento oncológico pode afetar sua fertilidade

Os quimioterápicos e radioterápicos agridem as células germinativas afetando tanto a função dos ovários, quanto dos testículos. Depois de realizar um tratamento contra o câncer, algumas mulheres e alguns homens podem sofrer danos no aparelho reprodutor, levando a baixa produção de óvulos ou espermatozoides.

Após o tratamento oncológico, a fertilidade pode diminuir temporariamente ou permanentemente, dependendo da dose da medicação ou da radioterapia utilizada e da resposta de cada indivíduo.

Atualmente, com os avanços da medicina, a chance de cura de um câncer é muito grande o que justifica a preocupação com a fertilidade.

ETAPAS DO PROGRAMA

  • Consulta com médico de reprodução humana especialista em oncologia, que determina a melhor tática de preservação da fertilidade para cada caso, após contato com Oncologista responsável.
  • Realização de exames e indicação do protocolo a ser realizado.
  • Coleta de óvulos, sêmen, retirada do tecido ovariano, entre outros.
  • Retorno ao oncologista para início do tratamento oncológico.

AGENDE SUA CONSULTA

Entre em contato com a nossa Central de Relacionamento pelo telefone: (11) 3059-6100.

Horário de atendimento

De segunda a sexta-feira: das 7h às19h

Sábados, domingos e feriados: das 7h às 13h