A idade do homem também pode afetar a fertilidade

Texto publicado no Portal MdeMulher.

Durante muito tempo, as dificuldades de concepção estiveram sempre relacionados às mulheres, mas o cenário atual é totalmente diferente. Apesar das taxas serem muito semelhantes entre homens e mulheres, a infertilidade masculina ainda é tabu e pouco comentada. De uma forma geral, quando um casal busca tratamento para engravidar, a preocupação na maioria das vezes é do sexo feminino.

fertilidade-masculina-idade

Hoje, sabe-se que a infertilidade afeta entre 10% e 20% dos casais em idade reprodutiva, sendo que 20% dos casos são ligados ao homem e à mulher simultaneamente; 20% a 30% ao sexo masculino; e de 30 a 40% o problema está na mulher.

Varicocele, azoospermia e questões genéticas estão entre as causas mais comuns de infertilidade masculina. Além disso, segundo um estudo apresentado no 1º Congresso Internacional Huntington de Reprodução Humana pelo Dr. Andrea Garolla, da Universidade de Padova, na Itália, a idade do homem pode, sim, interferir nos índices de fertilidade.

As complicações podem aparecer principalmente após os 50 anos. Os responsáveis são o alto nível de aneuploidias (material genético do espermatozoide alterado), a fragmentação do DNA, questões epigenéticas (fatores do ambiente que podem alterar quimicamente a função dos genes que produzem os gametas masculinos) e o encurtamento dos telômeros, que danificam diretamente a estrutura dos cromossomos, prejudicando a qualidade e a motilidade dos espermatozoides. O espermograma, principal exame da análise seminal, pode diagnosticar essas possíveis alterações, mas nem sempre refletem aquelas relacionadas à faixa etária do futuro pai.

E com os casais buscando cada vez mais uma gravidez tardia, isto, consequentemente, interfere não somente na mulher, mas agora também no homem. Para elas, o fator idade é muito conhecido e a melhor maneira para evitar empecilhos é pensar em construir uma família ainda jovem. Mas quando se quer adiar a maternidade, existem recursos na medicina reprodutiva que podem ajudar a realizar esse desejo, como o congelamento de óvulos. Já para eles, pouco se fala em congelar o sêmen para o futuro, mas se a ideia de postergar a paternidade fizer parte de um planejamento de vida, isso também deve ser considerado.

Dr. Maurício Chehin, médico especialista em reprodução assistida do Grupo Huntington.