Hábitos simples podem preservar e potencializar fertilidade feminina

Texto publicado no portal Brasil Post em 12/06/2015. Clique aqui e acesse a matéria no portal.

Os profissionais de reprodução humana são procurados, na maioria das vezes, quando uma mulher tenta ser mãe e as dificuldades aparecem. Além das noções cientificas e técnicas, os especialistas aconselham as pacientes sobre quais atitudes podem ser importantes para conseguir ter filhos. Muitas recomendações são simples, ligadas a mudanças de hábitos, e podem fazer toda a diferença. Aproveitando a passagem de maio, que é o mês das mães, preparei algumas dicas para as mulheres que estão encontrando problemas para chegar à tão sonhada gravidez.

foto

Primeiramente, a ansiedade é normal e faz parte do processo de aumentar a família. A gestação não é uma ciência exata e, por isso, muitas vezes não acontece nas primeiras tentativas. Mesmo assim, manter o foco e o equilíbrio emocional é fundamental. Apesar de comum, a ansiedade pode atrapalhar os planos. Atenção e cuidados são importantes, mas, em excesso, sobrecarregam o casal. Um comportamento perigoso e bastante comum é adaptar totalmente a rotina para ter um bebê. Nem tudo precisa estar relacionado a este objetivo. Mantenha suas atividades sociais e de trabalho normalmente.

A falta de equilíbrio emocional, além de incômoda, pode interferir nos níveis hormonais. A mulher tem a libido e a imunidade diminuídas quando está estressada e o ciclo menstrual e dos hormônios podem ser alterados. É por isso que o combate ao estresse e o controle da ansiedade são duas dicas valiosas. Desenvolver atividades prazerosas pode ajudar a controlar o nervosismo. Hábitos saudáveis, como exercícios físicos regulares, mantêm corpo e mente em estado de calma e, ainda, controlam o peso, que pode ser outro empecilho – mulheres com sobrepeso podem ter alterações hormonais importantes. Caminhadas ou alongamentos são os mais indicados.

Outro ponto que ajuda a potencializar a fertilidade feminina é a alimentação. Uma dieta balanceada e alguns nutrientes específicos podem cooperar, conforme escrevi neste artigo, publicado em novembro de 2014. As datas do ciclo menstrual também podem trabalhar a favor. O dia mais fértil do mês ocorre 14 dias antes da próxima menstruação. Portanto, se a menstruação ocorre no dia 15 do mês, significa que a ovulação foi no dia 1º. Ter mais atenção ao esse ciclo natural do corpo pode fazer diferença.

Fumar, ingerir bebidas alcoólicas e usar drogas são hábitos sabidamente nocivos à saúde. Também vale para a fertilidade. Nestes casos, há maior incidência de complicações na menstruação e na qualidade dos óvulos. Aquelas mulheres que já são gestantes podem sofrer com abortos espontâneos e malformações. Mantenha-se longe dos três.

idade da futura mãe também merece reflexão, pois, a partir dos 35 anos, a reserva ovariana é bastante reduzida e tem qualidade menor. Quanto mais avançada for a idade, consideravelmente maiores são as dificuldades para engravidar e os riscos de o bebê nascer com anormalidades cromossômicas. Após os 40 anos, a possibilidade de engravidar é muito diminuída, ou, até mesmo, impeditiva. O tratamento de endometriose e miomas e o congelamento de óvulos, praticados pela medicina reprodutiva, mantêm a fertilidade com qualidade por mais tempo e podem ser um alento.

E, por fim, conte sempre com um especialista. Além do aconselhamento, os exames adequados são importantes para detectar quadros como pressão alta, endometriose e tireoide desregulada. Não perca a esperança. Para os casos de impossibilidade de gravidez natural, a medicina reprodutiva conta com soluções como a inseminação artificial, a Fertilização In Vitro, e outras tantas modernas técnicas, indicadas caso a caso.

Dra. Michele Panzan, médica especialista em reprodução assistida do Grupo Huntington.