Abortos em repetição

O que é?

O abortamento em repetição é definido após a ocorrência de três ou mais abordos consecutivos, e torna-se uma frustração na vida do casal, fato que deve ser visto com muito cuidado e se for o caso, acompanhado por um psicólogo, caso contrário, a expectativa por um filho nos primeiros dias de atraso menstrual, pode se tornar uma decepção.

Quais são as causas?

Diversas alterações podem acarretar em abortos de repetição, porém, é importante ressaltar que mesmo após a realização de variados exames, cerca de 20% dos casos não possuem causas definidas.

As principais causam são:
Genéticas: grande parte dos abortos é decorrente de alguma anomalia genética no embrião, pois eles devem possuir 46 cromossomos que permitem seu desenvolvimento normal. Muitas gestações acabam em abortamento, pois os embriões têm cromossomos a mais ou a menos. Além disso, o impacto da idade materna é grande, pois o risco de aborto causado por alteração genética é extremamente maior em mulheres acima de 40 anos.

Anatômicas: algumas alterações da anatomia do útero como malformações adquiridas ou congênitas, podem distorcer a cavidade uterina, causando um aborto. Quanto aos miomas, eles podem interferir e causar abortamento somente se forem maiores que 4 cm ou se estiverem modificando a cavidade endometrial.

Trombofilias: é um grupo de doenças onde existe um desequilíbrio entre a coagulação e a fibrinólise, ampliando o risco de trombose. Diversas mutações, podem causar o desenvolvimento de pequenos trombos nos vasos da placenta, causando assim o abortamento.

Endócrinas e infecciosas: as doenças, diabetes mellitus e distúrbios da tireoide (hipo e hipertireoidismo) podem ser causadores do aborto quando estão descontroladas. Algumas bactérias também podem estar relacionadas.

Alogênicas: se refere à reação imunológica contra algo que o nosso organismo não reconhece como sendo nosso. A formação do embrião se dá através da fecundação de um óvulo por um espermatozoide, dessa forma, metade dos genes é do parceiro. Portanto, para ocorrer uma gestação normal e saudável, o organismo da mãe não pode produzir anticorpos contra aquele embrião. Porém, quando essa tolerância não acontece, diversos processos podem ser causadores do aborto.

Hábitos e estilo de vida: tabagismo e uso de drogas aumentam muito o risco de aborto, assim como o consumo excessivo de álcool. As mulheres que se encontram acima do peso ideal também têm maiores chances de abortarem e terem complicações durante a gravidez e o parto.