Infertilidade masculina

Sistema Reprodutor

Em um homem adulto, a formação dos espermatozoides (espermatogêneses) nos testículos é feita continuamente. Uma célula germinativa (célula não especializada) necessita de aproximadamente 90 dias para se desenvolver e formar um espermatozoide maduro e ser levado para o epidídimo (órgão adjacente ao testículo). No epidídimo eles são armazenados até o momento da ejaculação.

Após a passagem pelo epidídimo, o esperma é levado por canais (vasos deferentes), passando pela próstata e se juntando com o líquido produzido pelas vesículas seminais para formar o líquido seminal. No momento da ejaculação, esse líquido percorre o canal urinário (uretra) até ser eliminado para o exterior. A capacidade de liberação de uma quantidade adequada de esperma na vagina da mulher é um fator muito importante para a fertilidade masculina. Qualquer alteração nesse mecanismo de emissão e/ou produção pode levar ao processo de infertilidade.

Um motivo muito comum para alteração na produção seminal é o aumento da temperatura corporal gerado pelo quadro febril prolongado ou pela exposição ao calor excessivo, feitos de modo crônico (ex.: banhos quentes, banheiras, dentre outros) que podem reduzir a produção de espermatozoides, a capacidade de movimentação e aumentar a quantidade de espermatozoides com formato alterado no sêmen.

A formação dos espermatozoides é mais adequada em torno dos 35°C, uma temperatura um pouco inferior à temperatura corporal basal. Esse é o motivo da localização dos testículos na bolsa testicular (escroto) e da capacidade de aproximação e afastamento do corpo para poder manter um mecanismo regulatório da temperatura.