Avaliação Genética

Em casos de alterações seminais mais importantes, devemos fazer uma análise genética do paciente através de estudo específico do seu sangue. Dentro da população infértil, 6% dos homens possuem alterações genéticas detectáveis.

Essas alterações podem ser muito importantes a ponto de não aparecer nenhum espermatozoide na análise seminal, situação que chamamos de azoospermia. Estes representam 1% a 2% da população geral masculina.