Azoospermia

A azoospermia (ausência total de espermatozoides na ejaculação) é uma situação que aparece quando temos um distúrbio grave de produção nos testículos ou de um processo obstrutivo no sistema de drenagem dos espermatozoides (ex.: ausência dos vasos deferentes ou vasectomia). A ausência de frutose (um açúcar produzido pelas vesículas seminais) no sêmen pode indicar um processo obstrutivo.

O tratamento consiste na captura de espermatozoides no epidídimo ou testículo, com punção ou abordagem cirúrgica com microscopia. As técnicas são utilizadas conforme a causa de azoospermia. Assim, podemos descrever:

a) Azoospermia obstrutiva: gerada por processos obstrutivos congênitos ou adquiridos – ex.: vasectomia, ausência dos deferentes, pós-cirúrgicas, obstruções congênitas (MESA, PESA, TESE, TESA).

b) Azoospermia não obstrutiva: gerada pela falência da produção testicular de espermatozoides. Essa situação pode ser causada por problemas intrínsecos dos testículos ou pela diminuição da produção central de hormônios que estimulam o funcionamento testicular (TESE, TESA).

MESA (Microsurgical Epididymal Sperm Aspiration) – primeira técnica de recuperação utilizada. Consiste em uma técnica cirúrgica de extração espermática com pequena abertura do epidídimo.

PESA (Percutaneous Epididymal Sperm Aspiration) – consiste na captura de espermatozoides por punção dos epidídimos.

TESE (Testicular Sperm Extraction) – técnica de recuperação de espermatozoides por biópsia aberta.

TESA (Testicular Sperm Aspiration) – técnica de recuperação espermática intratesticular por punção.

Microtese (Microdissection Testicular Sperm Extraction) – técnica de recuperação de espermatozoides por microcirurgia.