Informativo Médico Dezembro

As técnicas indicadas variam de acordo com cada caso e vão desde o congelamento de sêmen à doação de gametas

Congelamento de Sêmen

destaqueReproducaoConsiste em um método simples, inócuo e bastante efetivo para preservar a fertilidade masculina. A indicação é que o sêmen seja coletado, preferencialmente 2 a 3 vezes, antes do tratamento contra o câncer, já que as sessões de quimioterapia e radioterapia afetam a qualidade do DNA espermático. Além disso, o tratamento oncológico pode, inclusive, diminuir e até extinguir a produção do esperma. Dependendo da qualidade seminal e número de amostras coletadas, após descongelar o sêmen, é possível realizar a inseminação intrauterina ou FIV (Fertilização in Vitro) por ICSI (Injeção Espermática Intra Citoplasmática), na qual o espermatozoide é introduzido no óvulo maduro, por meio de uma microscópica injeção.

Congelamento de Embriões

Os embriões resultantes de técnicas de FIV (Fertilização in Vitro), realizada antes do tratamento quimio ou radioterápico, podem ser criopreservados para implantação no útero após a realização do tratamento contra o câncer.

Criopreservação de Tecido Ovariano

Uma opção para pacientes com câncer que não podem esperar pela indução da ovulação, coleta e congelamento do óvulo é o congelamento do tecido ovariano. O mesmo pode ser aplicado também em adolescentes e em pacientes em que os hormônios podem acelerar a evolução da doença. Geralmente, consiste na retirada de fragmentos de um dos ovários, ou parte dele, que será congelado em pequenos grupos e reimplantado após a cura.

Criopreservação de Óvulos

Atualmente, a melhor técnica utilizada é a vitrificação. As taxas de sucesso com este novo método de congelamento aumentaram a recuperação dos óvulos com qualidade em 90%. O maior problema enfrentado na técnica anterior, chamada de congelamento lento, era a formação de cristais de gelo, que danificavam o óvulo no processo de descongelamento. Cerca de 50% do total de óvulos congelados eram perdidos. Hoje, as taxas de recuperação dos óvulos são altas, aproximando-se dos resultados do congelamento de embriões.

Transposição dos Ovários

Em casos de necessidade de radioterapia, com esta técnica, através de uma cirurgia minimamente invasiva (laparoscopia), os ovários podem ser alocados por trás do útero ou em outra localização distante do foco da radiação, durante o período do tratamento. A partir da mesma técnica cirúrgica, quando a paciente já estiver recuperada, os ovários poderão voltar ao seu lugar de origem.

Doação de gametas

Pacientes que não tiveram a oportunidade de preservar sua fertilidade antes do tratamento oncológico quimio e/ou radioterápico, evoluindo com falência gonadal, esta técnica permite à mulher engravidar e conceber uma criança por meio da doação anônima de óvulos (em caso de falência ovariana) ou espermatozoides (para homens com falência testicular).