4 pontos importantes para quem precisa viajar para realizar a FIV

RECEBA NOSSOS PRÓXIMOS
CONTEÚDOS EXCLUSIVOS:

    Compartilhe este post

    Share on facebook
    Share on twitter
    Share on linkedin
    Share on whatsapp

    A FIV é um grande avanço na medicina reprodutiva assistida e necessita de equipamentos modernos e profissionais capacitados para sua execução. Por isso, muitas vezes, cidades menores não possuem clínicas especializadas que realizem o procedimento com a técnica mais adequada.

    Nessa situação, as pessoas interessadas em realizar o tratamento precisam viajar para ter acesso a uma clínica de qualidade.

    Sair da cidade natal em busca do sonho de engravidar pode tornar o processo mais desgastante emocionalmente, pois, além da ansiedade em relação ao tratamento, ainda existem os trâmites de deslocamento e acomodação.

    Para auxiliar neste processo, separamos aqui 4 informações importantes para as pessoas que irão viajar para realizar a FIV.

    Boa leitura!

    Antes de mais nada, procure fazer todos os exames possíveis na sua cidade

    Antes de iniciar a FIV, o especialista em reprodução humana precisa fazer uma análise diagnóstica por meio de exames que verificam a saúde e fertilidade dos pacientes para conseguir fazer o tratamento da melhor forma.

    Realizar esses exames na sua cidade natal já é uma ótima forma de agilizar o processo e reduzir o tempo de estadia fora de casa.

    No próximo tópico vamos conhecer os exames mais pedidos antes de iniciar o tratamento de FIV. Alguns outros poderão ser solicitados a depender da avaliação  médica feita na consulta.

    Exames que as mulheres devem fazer

    • Ultrassonografia transvaginal: exame que analisa as condições dos ovários e do útero;
    • Exames hormonais: estes servem para compreender o funcionamento hormonal da mulher, especialmente hormônios produzidos pela tireoide, testículos  e ovários como o Hormônio 

    • Histerossalpingografia: avaliação a função das trompas uterinas bem como a presença  de alterações na sua anatomia que possam interferir negativamente  no resultado  da FIV.

    • Exames sorológicos: são obrigatórios, de acordo com a Anvisa, pois detectam a presença de infecções como a hepatites e infecções sexualmente transmissíveis.

    Exames que os homens devem fazer

    • Análise seminal: detecta alterações no sêmen;
    • Fragmentação de DNA: analisa a qualidade de DNA carregado pelos espermatozoides;
    • Ultrassom da bolsa testicular: detecta varicocele e alterações de tamanho e aparência dos testículos;

    • Exames sorológicos: assim como para as mulheres, para os homens eles também são obrigatórios, pois detectam a presença de infecções como rubéola, toxoplasmose e infecções sexualmente transmissíveis.

    Os exames preliminares permitem que o médico compreenda a situação dos pacientes e eles são fundamentais para iniciar o tratamento.

    Além disso, você deve se informar sobre todos os detalhes e vamos te ajudar com isso no próximo tópico.

    Converse com seu médico e saiba com clareza as etapas do tratamento

    Com todos os exames em mãos, o especialista em reprodução humana irá, na primeira consulta, traçar o tratamento. Nesse momento, o mais importante é conversar bastante com o médico responsável para sanar todas as suas dúvidas.

    Compreender o processo da FIV é uma forma de se preparar psicologicamente para o tratamento, aliviando os medos e angústias.

    Por isso, procure saber o passo a passo, o que será feito em cada semana, quais medicações você terá de tomar e por que irá tomar, se existe algum efeito colateral ou se precisa de algum cuidado específico.

    Esses são pontos importantes para quem irá passar por este tratamento.

    Quanto mais você souber a respeito das etapas da FIV, menor será sua ansiedade e mais confortável você estará para seguir o tratamento.

    Por isso, vamos adiantar que o tratamento é dividido em quatro etapas, que duram aproximadamente 18 a 20 dias:

    1. Indução da ovulação: duração de 10 a 14 dias;

    2. Punção ovariana: duração de 1 dia;

    3. Transferência embrionária, que ocorre 2 a 5 dias após a punção ovariana e é realizada em 1 dia.

    4. Teste de gravidez, que é feito de 9 a 13 dias após a transferência embrionária.

    Lembrando que pode ser necessário  congelar os embriões. Nesta situação  a transferência embrionária para o útero ocotre em outro momento que pode ser determinado pelo desejo do casal e principalmente pela indicação  médica. Como você pode perceber, o tratamento é relativamente extenso e, como será feito em outra cidade, requer bastante preparação. É sobre isso que falaremos  no próximo tópico.

    Se programe antes de iniciar a FIV

    Organização é fundamental em qualquer situação, especialmente para realizar a FIV.

    Por isso, se informe o máximo possível sobre o procedimento antes de começar para se programar nos mínimos detalhes.

    Como vimos, o tratamento dura em média 18 a 20 dias. Existe a possibilidade  de você iniciar o tratamento na sua cidade, permanecendo em sua casa durante a maior parte da etapa da estimulação da ovulação  desde que tenha o apoio  de um médico para realizar os ultrassons  e de um laboratório para fazer exames hormonais no sangue. Caso não tenha esse apoio ou prefira fazer todas as etapas do tratamento na clinica especializada deve ter disponibilidade de 18 a 20 dias para ficar longe da casa.

    Dessa forma, é preciso se organizar em relação ao trabalho e à sua vida pessoal, para garantir que poderá se ausentar por todo o período do procedimento.

    Além disso, é preciso se organizar financeiramente para pagar o transporte, a alimentação e a estadia, bem como definir onde irá ficar e qual meio de locomoção irá utilizar.

    Busque apoio na infraestrutura da clínica

    Toda clínica de reprodução assistida deve cuidar da saúde emocional dos pacientes, especialmente daqueles que são de outras cidades, pois, além de estarem apreensivos com o resultado do tratamento, passam por este processo longe de suas casas e do apoio familiar.

    Por isso, nesse caso, se faz ainda mais importante prestar um atendimento humanizado, que dê todo o apoio emocional para que os pacientes possam fazer este tratamento da melhor forma possível.

    Afinal, a saúde mental dos pacientes é muito importante para que todo o procedimento corra bem.

    Por isso, se for optar por realizar a FIV fora da sua cidade, não deixe de seguir as dicas que nós apresentamos neste texto.

    Para se informar mais sobre a nossa clínica de reprodução assistida, e conhecer melhor o nosso trabalho, acesse o nosso site! E para receber mais conteúdos como esse, assine a nossa newsletter!

    Para ler

    Em seguida