5 tipos de exames necessários para a realização da FIV que podem ser feitos em sua cidade

RECEBA NOSSOS PRÓXIMOS
CONTEÚDOS EXCLUSIVOS:

    Compartilhe este post

    Share on facebook
    Share on twitter
    Share on linkedin
    Share on whatsapp

    A fertilização in vitro (FIV) é um tratamento de alta eficácia indicado para alguns casais que apresentam infertilidade. Antes de iniciar o procedimento, alguns exames são necessários  a fim de ajudar na detecção de problemas ou doenças que possam prejudicar o resultado do tratamento.

    A seguir, você poderá conhecer os 5 exames necessários para a realização da FIV que podem ser feitos em sua cidade, caso a clínica de fertilização seja localizada em um município vizinho. Dessa forma, o procedimento pode ser adiantado sem a necessidade de realizar uma viagem. Confira!

    5 exames necessários para a realização da FIV

    Assim como qualquer outro procedimento médico, existem alguns exames necessários para a realização da FIV. Estes testes pré-gestacionais são responsáveis pela detecção de condições físicas que possam prejudicar o procedimento de fertilização, como diabetes, alterações hormonais e de coagulação. O histórico de doenças na família do casal também é avaliado com o objetivo de identificar eventuais problemas genéticos.

    Dessa forma, o casal que irá se submeter a FIV deve fazer alguns exames gerais que podem ser realizados em laboratórios de análises clínicas e clínicas médicas em qualquer cidade. Confira a seguir quais seriam estes 5 exames.

    1. Hemograma completo

    Por meio do popularmente conhecido exame de sangue, é possível diagnosticar diversas doenças e infecções, além de quadros tóxicos. O hemograma também é capaz de avaliar o nível de imunidade da mulher para doenças como rubéola e hepatite B.

    2. Tipo sanguíneo

    Outro entre os exames necessários para a realização da FIV é o de tipagem sanguínea. O RH é uma proteína que pode ou não estar presente no sangue. Caso a mulher tenha RH negativo e o parceiro tenha RH positivo, existe a possibilidade do bebê nascer com o RH positivo, fato que pode causar problemas na hora do parto.

    Isso porque, quando a mãe (RH+) entrar em contato com o sangue do bebê (RH-) seu corpo poderá desenvolver anticorpos. Dessa forma, caso em uma segunda gestação o próximo bebê seja RH positivo, os anticorpos gerados no organismo da mãe poderão colocar a criança em risco.

    Essa incompatibilidade sanguínea é chamada de Eritroblastose Fetal, e a solução para ela é, além da monitoração por meio dos exames antes de realizar a FIV, a vacina gamaglobulina anti-D, caso seja confirmada.

    3. Glicemia em jejum

    O exame para glicemia em jejum é realizado com o objetivo de constatar a presença de Diabetes Mellitus, ainda que a futura gestante não sofra nenhum sintoma da doença. Afinal, durante a gestação, o distúrbio pode agravar e colocar em risco a vida de mãe e bebê.

    4. Exame de urina

    O exame de urina é outro dos necessários para a realização da FIV, pois detecta possíveis infecções no trato urinário. Estas condições estão associadas a abortos espontâneos, desnutrição do bebê e parto prematuro.

    5. Exames de fezes

    O exame de fezes é realizado para identificar a presença de possíveis parasitas e bactérias que podem contribuir com doenças que causam a perda de mineral e ferro, substâncias fundamentais para a formação e desenvolvimento do bebê.

    Exames necessários para a realização da FIV mais comuns em mulheres

    Além dos testes citados acima, existem exames necessários para a realização da FIV mais comuns em mulheres, de modo a garantir o bom funcionamento do sistema reprodutor feminino. Entre eles, estão:

    • ultrassonografia transvaginal: usado para verificar condições de ovários e útero;

    • exames hormonais: avaliando a dosagem hormonal específica da ovulação;

    • biópsia do endométrio: retira de pequena amostra de tecido do endométrio (parede interna do útero) para verificar se existe algum problema;

    • exames sorológicos: rubéola, toxoplasmose, sífilis, HIV, hepatite B, hepatite C, HTL/V1 e HTL/V2, conforme protocolo da ANVISA (Agência Nacional de Vigilância Sanitária).

    Exames necessários para realização da FIV mais comuns em homens

    Assim como nas mulheres, alguns exames necessários para a realização da FIV devem ser feitos exclusivamente em homens, de modo a assegurar o melhor resultado do tratamento e permitir a escolha da conduta adequada. São eles:

    • análise seminal: avaliação do esperma para detectar alterações no espermograma;

    • fragmentação do DNA: análise da porcentagem dos espermatozóides danificados;

    • ultrassom de bolsa testicular: realizado para identificar varicocele, causa de baixa produção de espermatozóides, diminuição da qualidade e até infertilidade;

    • exames sorológicos: rubéola, toxoplasmose, sífilis, HIV, hepatite B, hepatite C, HTL/V1 e HTL/V2, conforme protocolo da ANVISA (Agência Nacional de Vigilância Sanitária).

    Agora você já conhece os 5 exames necessários para a realização da FIV. Além disso, pode também conferir quais são os testes mais executados por homens e mulheres antes de um procedimento de reprodução assistida. Desta forma, é possível iniciar os exames para este processo em laboratórios de sua própria cidade!

    Este artigo foi útil? Então, veja também a diferença entre inseminação artificial e FIV!

    Para ler

    Em seguida