Anticoncepcionais e fertilidade

RECEBA NOSSOS PRÓXIMOS
CONTEÚDOS EXCLUSIVOS:

    Compartilhe este post

    Share on facebook
    Share on twitter
    Share on linkedin
    Share on whatsapp

    Muitas pacientes acham que o uso prolongado das pílulas anticoncepcionais levam a dificuldade para engravidar. Porém, tenho uma boa notícia para as aquelas que estão nessa situação: a pílula não prejudica e tampouco prolonga a fertilidade na mulher, conforme dizem alguns mitos. O que acontece é que muitas mulheres tomam o medicamento regularmente durante o período fértil da vida e, quando decidem parar, já se encontram em uma idade que não é favorável às funções reprodutivas ou descobrem que possuem doenças que causam a infertilidade.

    1

    É muito importante que a mulher fique atenta à idade em que pretende engravidar. Por desconhecer seus potenciais reprodutivos e por acreditar cegamente nos avanços da medicina, as mulheres acreditam que podem engravidar a qualquer momento. Esse é um deslize que pode trazer algumas frustrações futuramente. Como conseqüência do avanço da idade biológica, algumas mulheres acabam descobrindo que sua reserva de óvulos se esgotou, ou que suas células já não tem qualidade o suficiente para gerar embriões saudáveis.

    Portanto, é importante entender que o uso de anticoncepcionais apenas bloqueia o ciclo menstrual, no entanto, o declínio da fertilidade, com o tempo, acontece naturalmente. É aconselhável que as mulheres planejem a gravidez levando em consideração a sua idade e procurem fazer alguns exames que possam mostrar a situação do seu sistema reprodutivo. Dessa forma poderão ter uma estimativa de qual são as possibilidades ou até o melhor momento para que consigam engravidar futuramente sem sustos.

      Fernanda Rodrigues

    Dra. Fernanda Rodrigues, especialista em reprodução assistida do Grupo Huntington.

    Para ler

    Em seguida