Maternidade Planejada: 3 motivos para considerar o congelamento de óvulos

RECEBA NOSSOS PRÓXIMOS
CONTEÚDOS EXCLUSIVOS:

    Compartilhe este post

    Share on facebook
    Share on twitter
    Share on linkedin
    Share on whatsapp

    A maternidade planejada é o melhor caminho para um parto saudável e uma constituição familiar equilibrada, devido a maior preparação envolvida em todo processo.

    Mas, nem sempre é possível contar com o planejamento, ou então os planos precisam ser adiantados, já que infelizmente a mulher que deseja ser mãe corre contra o tempo, pois quanto mais a idade avança, menores são as chances de engravidar pois há perda da quantidade e quantidade dos óvulos.

    Nesse sentido, as técnicas de reprodução assistida podem proporcionar para as mulheres a tão sonhada autonomia reprodutiva por meio do congelamento de óvulos.

    Deseja saber mais sobre o assunto? Então continue lendo o texto que abordaremos em detalhes como é este procedimento, como ele pode favorecer a maternidade planejada e te daremos 3 motivos para considerar a criopreservação.

    O que é congelamento de óvulos?

    O congelamento de óvulos é uma técnica que beneficia as mulheres que desejam ter uma maternidade planejada, seja com algum companheiro ou através de uma produção independente.

    Essa técnica de reprodução assistida consiste na conservação dos gametas femininos em nitrogênio líquido, em uma temperatura de -196ºC.

    Com a criopreservação, os óvulos não perdem a qualidade, graças a técnica de vitrificação, que congela as células sem formar cristais de gelo no seu interior, evitando assim o seu rompimento. Com esta técnica apenas 5 a 15% dos gametas são perdidos durante o descongelamento, a depender da idade em que a mulher faz o congelamento bem como da qualidade dos óvulos congelados. Quanto menor a idade da mulher maior é a taxa de sobrevivência ao descongelamento.

    Além de tudo, as células reprodutivas podem ser mantidas dessa forma por tempo indeterminado. O procedimento é bastante simples, vamos conhecê-lo em detalhes no próximo tópico.

    Como funciona o procedimento de congelamento de óvulos?

    O primeiro passo para a mulher que deseja ter uma maternidade planejada e optar pelo congelamento de óvulos, é realizar uma série de exames para saber se ela não possui nenhuma contraindicação ao tratamento hormonal.

    Após isso, inicia-se o tratamento de estimulação ovariana, com o uso de medicamentos hormonais que induzem a ovulação, assim mais óvulos são disponíveis no momento da coleta, e quanto maior a quantidade de células disponíveis, maior a chance de a gestação ser bem-sucedida. Sem o uso destas medicações as mulheres costumam produzir somente um óvulo a cada ciclo menstrual.

    Finalizado o tratamento, no período fértil da paciente deverá ser feita a punção transvaginal, com o auxílio de um ultrassom, para realizar a coleta dos gametas. Esse procedimento  dura cerca de 20 minutos,e a mulher deverá ser sedada.

    Com os óvulos coletados, eles passarão por uma seleção, para que apenas os com maior qualidade morfológica sejam congelados. Mas, antes de irem para o nitrogênio líquido, os gametas serão incubados por aproximadamente 2 horas para terminar o seu processo de maturação.

    Posteriormente, as células reprodutivas são submetidas ao tratamento de vitrificação, que não dura mais do que 15 minutos, e após isso estão prontos para serem congelados a -196ºC.

    Qual a idade máxima para fazer o congelamento de óvulos?

    Para a mulher que deseja uma maternidade planejada, é importante saber que não existe um limite de idade definido legalmente, entretanto, os médicos indicam que o congelamento dos gametas seja feito idealmente até os 35 anos.

    Isso deve-se ao fato de que após essa idade a reserva ovariana é  menor, reduzindo o número de óvulos que poderão ser congelados,  e com isso, é menor a chance de uma gestação bem-sucedida no futuro.

    Além disso, após os 35 a qualidade dos gametas começa a cair, aumentando progressivamente os riscos de malformações fetais e abortos.

    Congelamento de óvulos: utilizando os óvulos congelados

    O congelamento de óvulos permite que a mulher tenha uma maternidade planejada e assim que decidir engravidar  e se quiser utilizar os óvulos congelados, a mulher deverá iniciar o procedimento de preparo do útero quando o fluxo menstrual aparecer, até o terceiro dia menstrual.

    Quando o útero estiver apto para receber o embrião, os óvulos são descongelados e no mesmo dia serão fertilizados in vitro. Aproximadamente 5 dias após a fecundação, haverá a transferência embrionária para o útero, que é um procedimento semelhante a um exame ginecológico padrão feito nas consultas anuais.

    O procedimento consiste em uma fertilização in vitro e não oferece riscos à paciente.

    Ainda que a criopreservação dos óvulos traga autonomia para que a mulher tenha uma maternidade planejada no momento que julgar melhor, ainda existem algumas limitações também relacionadas às adaptações do corpo da mulher que são requeridas durante a gestação. Por este motivo, o Conselho Federal de Medicina indica que a gestação ocorra antes dos 50 anos.

    Isso porque com o passar do tempo aumentam-se também os riscos de complicações da gestação, como pressão alta ( pré-eclampsia),parto prematuro, diabetes, etc.

    Maternidade planejada: porque o congelamento de óvulos é uma excelente opção

    Agora que você conhece com detalhes o procedimento, vamos apresentar 3 motivos do porque a criopreservação de gametas é a melhor escolha para quem deseja uma maternidade planejada.

    1. Autonomia para gestar no momento mais adequado

    Ascensão profissional é um dos motivos para mulheres adiarem a maternidade. Com o congelamento de óvulos você poderá se dedicar à sua carreira, e no momento mais adequado optar pela maternidade planejada, com toda a estabilidade financeira que o momento requer.

    1. Liberdade para ter o filho com um companheiro ou não

    Além de uma maternidade planejada, a criopreservação dá para a mulher a escolha de ter o filho com um companheiro ou ter uma produção independente. Isso é possível a partir da aquisição de espermatozoides de um doador, por meio de um banco de sêmen. Todo o procedimento é orientado por uma clínica de reprodução humana.

    1. Preservar a fertilidade ao passar por tratamentos médicos

    Existem tratamentos médicos com efeitos colaterais severos, que podem comprometer a fertilidade, como é o caso da quimioterapia e radioterapia. Se a mulher passar por um procedimento como esse, mas sonha em ser mãe, o congelamento de óvulos é uma ótima opção para ter chances de engravidar no futuro.

    Conclusão

    Atualmente, as mulheres ocupam diversas posições na sociedade, e com isso o sonho de ser mãe muitas vezes precisa ser adiado. Mas, ainda assim é possível ter uma maternidade planejada graças às técnicas de reprodução humana. É importante lembrar que nenhuma técnica de reprodução assistida é garantia de gravidez, porém pode proporcionar um aumento significativo das chances futuras para engravidar.

    Mas, lembre-se que ao realizar tratamentos como esses é necessário optar por uma clínica de confiança, para saber como escolher uma clínica de reprodução assistida, confira o artigo no nosso blog!

    Nos acompanhe também nas redes sociais, estamos no Instagram, Facebook e YouTube!

    Para ler

    Em seguida