O que é ovodoação e qual a sua importância?

RECEBA NOSSOS PRÓXIMOS
CONTEÚDOS EXCLUSIVOS:

    Compartilhe este post

    Share on facebook
    Share on twitter
    Share on linkedin
    Share on whatsapp

    Ovodoação é um processo voluntário em que mulheres em idade fértil fornecem seus óvulos para que outras mulheres, com problemas de fertilidade, possam realizar o sonho de serem mães.

    Se você tem esse desejo, já sabe como funciona a matemática da gestação? São necessários dois elementos para a formação de uma nova vida: óvulo e espermatozoide.

    Porém, assim como acontece com os homens, as mulheres podem ter problemas para conceber, relacionados ao gameta feminino, o óvulo, como a sua qualidade e até a quantidade limitada dessas células devido à idade.

    Assim, a doação de óvulos, é mais que uma simples solução para um problema: é uma prova de que a Medicina evoluiu a ponto de tornar a concepção um processo sustentável e colaborativo! Lindo isso, não é mesmo?

    A ovodoação é feita através da fertilização in vitro e neste artigo vamos apresentar as informações essenciais que você precisa saber se deseja optar por este procedimento.

    Boa leitura!

    Ovodoação: tudo o que você precisa saber sobre a técnica

    Como já apontamos, a ovodoação é um processo de reprodução assistida em que um óvulo é doado e inserido na receptora por meio da fertilização in vitro.

    Essa técnica é indicada para as mulheres com problemas na quantidade e qualidade dos óvulos, e isso pode se dar por diversos motivos, como:

    • Idade avançada;

    • Baixa reserva ovariana;

    • Repetidas falhas na fertilização in vitro;

    • Menopausa;

    • Alterações estruturais ou funcionais dos ovários por tratamentos cirúrgicos,quimioterápicos, ou radioterápicos;

    • Retirada dos ovários.

    É importante ressaltar que o Conselho Federal de Medicina (CFM) proíbe a comercialização de óvulos. Este procedimento é também sigiloso e preza pelo anonimato dos envolvidos.

    Por que a ovodoação é uma boa alternativa para casais que desejam engravidar

    Para muitos casais, ter um filho faz parte de um projeto de vida. Mas, muitas vezes, não é possível realizá-lo.

    A infertilidade feminina pode ser, em muitos casos, contornada se o casal opta pela ovodoação.

    Doadora e receptora: qual é o papel de cada uma?

    Ambas devem cumprir alguns requisitos para que o processo dê certo. Entenda:

    Idade e características da doadora

    A doadora deve ter mais de 18 e menos de 34 anos – a partir desta idade, a mulher começa a sofrer diminuição da taxa de fertilidade e isso aumenta as chances de mutações genéticas nos óvulos que na maioria das vezes causam abortos ou insucesso para a implantação do embrião..

    Ela também deve fornecer  algumas informações como altura, peso e outras características físicas dela e de familiares próximos.

    Anonimato

    A doadora e a receptora devem permanecer anônimas. Algumas informações clínicas da mulher podem ser passadas ao médico, mas sua identidade nunca pode ser revelada.

    É importante destacar que as duas não podem pertencer à mesma família. Além disso, legalmente, quem doa não poderá obter informações sobre a criança gerada e nem ter contato com ela.

    Permissão do parceiro ou parceira

    Se for casada, a mulher que deseja doar deve apresentar o consentimento por escrito do seu parceiro ou parceira para a cessão dos óvulos.

    Quadro de funcionários

    Mulheres que estão no quadro de funcionários da clínica de reprodução assistida onde será feito o procedimento não podem doar, sejam médicas, enfermeiras ou demais profissionais.

    Exames necessários para a doadora

    A doadora precisa fazer uma série de exames clínicos e laboratoriais para descartar doenças genéticas e infecciosas como HIV, hepatites, sífilis etc.

    Exames necessários para a receptora

    A receptora, por sua vez, deverá responder um questionário médico para atestar que ela e a mulher que doou os óvulos tenham características físicas e tipos sanguíneos compatíveis.

    No início do tratamento, ela passará por um preparo do útero através da utilização de hormônios para deixar o endométrio receptivo aos embriões. Após a avaliação, feita por ultrassom, o médico iniciará a fertilização in vitro do casal.

    Suporte emocional para o casal

    Além disso, o casal que recebe óvulos doados precisa passar por uma consulta psicológica para abordar os aspectos emocionais que possam estar envolvidos no processo.

    O que você precisa fazer para receber uma ovodoação

    Após entendidos todos os pontos acima, basta compreender como funciona a técnica, na prática

    No início do procedimento doação de óvulos, é feita uma estimulação ovariana controlada para que a doadora produza a maior quantidade de óvulos possível e depois a coleta dos óvulos por aspiração folicular guiada pelo ultrassom transvaginal.

    Os óvulos coletados serão fecundados pelo espermatozoide do parceiro da receptora ou de um doador. Ao mesmo tempo, ela poderá receber hormônios para estimular o desenvolvimento do endométrio para receber o embrião.

    A implantação do embrião é feita de forma rápida e sem dor. O procedimento é semelhante ao preventivo ginecológico. Após ele, um exame de sangue é feito após 10 a 15 dias para detectar a gravidez.

    Conclusão

    Esperamos que você tenha entendido plenamente como funciona o processo de ovodoação.

    Como sempre, ressaltamos que procedimentos como esse sempre devem ser feitos por uma equipe capacitada e especializada. Por isso, faça uma pesquisa minuciosa antes de decidir por qual clínica de reprodução assistida você vai optar.

    Para saber mais sobre este e outros assuntos relacionados à medicina reprodutiva, acesse nosso site e assine a newsletter para receber as novidades por e-mail!

    Para ler

    Em seguida