Você sabe porque a idade da mulher é tão importante na fertilidade?

RECEBA NOSSOS PRÓXIMOS
CONTEÚDOS EXCLUSIVOS:

    Compartilhe este post

    Share on facebook
    Share on twitter
    Share on linkedin
    Share on whatsapp

    Hoje em dia fala-se muito do relógio bilógico, do envelhecimento dos óvulos, da idade em relação a tentar engravidar, mas você sabe por que isso acontece?

    Nós mulheres não produzimos óvulos ao longo da vida. Quando ainda estamos lá no útero das nossas mães, nós temos a quantidade máxima de óvulos que ficará disponível para gastarmos durante nossa vida. A partir desse momento, ou seja, quando ainda somos um feto bem protegido no corpo da nossa mãe, começamos a gastar nossos óvulos. E gastamos da seguinte forma: todo o mês o ovário disponibiliza um lote de óvulos para gastarmos. Quando ainda somos criança, nenhum amadurece e no final do mês nós perdemos todo esse lote. A partir do momento em que já ficamos menstruadas, ou seja, já estamos na vida reprodutiva, um dos óvulos desse lote irá amadurecer e iremos libera-lo lá pela metade do ciclo menstrual, e isso chamamos de ovulação.

    Se você tiver relação sexual nesse período e o óvulo encontrar com o espermatozoide, parabéns! Você está grávida!! Mas se por algum motivo eles não se encontrarem ou se você não tiver relação nesse período, você gasta aquele que ovulou e todos os outros que estavam disponíveis e não amadureceram.

    Fazendo uma analogia bem simples, nosso ovário funciona como uma poupança. Porém se você gasta e não repõe um dia eles acabam. E esse “fim” tem o nome de menopausa e acontece geralmente entre os 45 e 50 anos da nossa vida. Bem, se nosso ovário que é onde os óvulos estão guardados só tem óvulos até mais ou menos os 45 anos, podemos pensar que sua “vida útil” é curta, considerando que hoje uma mulher vive até os 80, 90, 100 anos. Por isso a idade dos 35 anos é um marco na nossa vida reprodutiva, pois a partir dessa idade a qualidade dos óvulos começa a cair, sendo que após os 40 anos a qualidade e a quantidade caem drasticamente, sendo mais difícil engravidar tanto naturalmente quanto fazendo tratamento.

    É lógico que existe uma variabilidade entre as mulheres, mas de uma forma geral é assim que todo processo acontece.

    E aí entra uma dúvida muito comum que ouvimos no consultório: “Se eu congelar meus óvulos ou fizer uma fertilização in vitro, eu vou estar gastando meus óvulos mais rápido?”. A resposta é NÃO, pois estimulando seu ovário para que todos os óvulos daquele determinado mês do tratamento cresçam, nós só estaremos otimizando a resposta do seu ovário, ou seja, usando aqueles que você iria jogar fora naturalmente.

    Espero que esse pequeno texto tenha ajudado a esclarecer algumas dúvidas comuns entre as mulheres. Qualquer dúvida nos procurem!

    Dra. Melissa Cavagnoli, médica especialista em reprodução assistida do Grupo Huntington.

    Para ler

    Em seguida