Congelar os óvulos – qual é a idade ideal?

RECEBA NOSSOS PRÓXIMOS
CONTEÚDOS EXCLUSIVOS:

    Compartilhe este post

    Share on facebook
    Share on twitter
    Share on linkedin
    Share on whatsapp

    Está cada vez mais frequente no consultório, mulheres que procuram congelar os seus óvulos, pois não pretendem engravidar a curto prazo. Os motivos são diversos: priorizam a carreira profissional, não encontraram ainda o parceiro ideal, estão vivendo conflitos no relacionamento ou até mesmo se separaram e ainda tem o sonho de ser mãe.

    check up da fertilidade_facebook

    A grande questão de tudo isso é o momento da vida em que se conscientizam de que a preservação da fertilidade é possível. Vejo muitas mulheres já numa fase mais madura, perto dos 40 anos ou até com mais de 40 anos, que desejam congelar os óvulos para engravidar ainda mais tarde. Claro que isso é possível e que podemos sim congelar. Porém, também é verdade que ocorre uma queda da reserva ovariana e qualidade ovular ao longo dos anos reprodutivos da mulher. Portanto,  acima dos 35 e sobretudo acima dos 40 anos a chance de gravidez diminui por um motivo biológico. Em outras palavras, o congelamento de óvulos pode sim proporcionar uma gestação no futuro, mas a chance de isso acontecer depende da idade em que o óvulo foi congelado.

    Então surge a seguinte dúvida: Qual a idade ideal para congelar os óvulos?

    A resposta é: Quanto mais jovem melhor!

    Ou seja, para haver uma chance real de gravidez no futuro com óvulos congelados, precisamos ter óvulos de boa qualidade no momento do congelamento. Então, quanto mais jovem for o óvulo, maior será a chance de engravidar quando descongelarmos.

    Dessa forma, segue o alerta:

    Se possível não adiem muito a gestação! Mas se for deixar para engravidar mais tarde, recomendo que congelem seus óvulos.

    Para aquelas pacientes que desejam se planejar, congelem de preferência antes dos 35 anos, pois, muitas pacientes acima dessa idade não congelaram seus óvulos antes por falta de conhecimento!

    Precisamos conscientizar a todos dessa realidade para que o sonho de ser mãe seja possível e planejado a longo prazo.

    Fernanda Rodrigues

    Dra. Fernanda Rodrigues, especialista em reprodução assistida do Grupo Huntington.

    Para ler

    Em seguida