Estou grávida. Será?

RECEBA NOSSOS PRÓXIMOS
CONTEÚDOS EXCLUSIVOS:

    Compartilhe este post

    Share on facebook
    Share on twitter
    Share on linkedin
    Share on whatsapp

    Para quem está lutando para conseguir engravidar, quando finalmente o positivo chega, é até engraçado, mas parece que a gente não consegue acreditar. A gente olha o exame de sangue e mesmo estando um valor alto ou escrito positivo a gente pensa: “Será que eu estou enxergando bem?”, ou “Será que o laboratório não trocou o exame?”. Se for um exame de farmácia então, a gente acha que fez errado, que o teste tá estragado e por aí vai.

    No meu caso, na 1ª gravidez, olhava o valor e achava que estava entendendo errado, o resultado foi 1.578ui/ml, se não me engano, e eu achando que o ponto poderia ser uma vírgula, aí seria 1,58, ou seja, negativo. Liguei para minha médica e ela ria da minha cara: “Só tu Alê, parece que desaprende. Pode acreditar que você está grávida, sim”. Vocês acham que eu acreditei?

    Falei para o meu marido e nem ele acreditava. Dormimos os 2 quietos, pensativos. No outro dia, quase de madrugada, corri para farmácia e comprei um teste. Fui para o banheiro, tremia, suava frio e só quando vi as duas listinhas que eu realmente acreditei. Aí sim a gente comemorou!

    Mas eu não me sentia grávida, não sentia nada, não tinha enjoo, tontura, dor nos seios, nada daquilo que toda grávida dizia que sentia. E nessa mistura de felicidade, medos e “nóias” eu fui fazer o primeiro ultrassom. Foi mágico, quando ouvi aquele “tum-tum-tum…tum-tum-tum” batendo forte, alto e rápido. Neste momento minha ficha caiu e senti que era mãe.

    Para a 2ª gravidez, já me achava a experiente. Só achava mesmo. Quando me dei conta que a menstruação estava atrasada, foi um frio na barriga e um medo de fazer o teste. Até que consegui tomar coragem e pedir uma tele-entrega. Minha cabeça estava a mil, pensava tudo ao mesmo tempo, “faço, não faço?… e se der negativo?… será? melhor esperar a 1ª urina da manhã…”. E assim fui guerreando com meus próprios pensamentos até tomar coragem, no serviço mesmo, de ir até o banheiro e fazer o teste. Novamente, só conseguia tremer e já estava até complicado conseguir realizar o exame daquele jeito, mas fiz. Quase que imediatamente a 2ª linha foi aparecendo e ficando muito forte. Nossa, meu coração já batia na minha boca a essa altura! E de novo, me encontrei naquela sensação, “será mesmo?”.

    Acho que a gente deseja tanto, quer tanto, que quando acontece é como um milagre realizado, a gente não consegue acreditar, demora a absorver e até tem medo de comemorar. Precisa-se  de provas :D. Mas quando a gente realmente se sente uma grávida é lindo e maravilhoso!

     

     

     

    Alê Nunes, mãe e blogueira.

    Para ler

    Em seguida