Como é feito o congelamento de óvulos?

RECEBA NOSSOS PRÓXIMOS
CONTEÚDOS EXCLUSIVOS:

    Compartilhe este post

    Share on facebook
    Share on twitter
    Share on linkedin
    Share on whatsapp

    As mulheres que desejam ser mães enfrentam uma corrida contra o tempo. Porém, há soluções práticas para as limitações de idade que elas enfrentam para engravidar, como o congelamento de óvulos – uma solução muito procurada nas clínicas de reprodução humana.

    Da mesma forma que refrigeramos um alimento quando queremos conservá-lo por mais tempo, a criopreservação auxilia a manter os óvulos saudáveis para uso. Assim, as mulheres têm mais liberdade para escolher o momento de gestar.

    Mas, por mais que o congelamento de óvulos seja uma técnica conhecida, ainda existem muitas dúvidas a respeito desse processo. Pensando nisso, produzimos esse artigo para te ajudar a compreender melhor o assunto.

    Boa leitura!

    Congelamento de óvulos: o que é, passo a passo e valores envolvidos

    O congelamento é conhecido como uma técnica de preservação, pois reduz o metabolismo das células impedindo que morram. No caso dos óvulos, o processo é um pouco diferente do que acontece com os alimentos, mas a premissa é a mesma.

    Para manter as células preservadas, em vez de um freezer convencional, é necessário utilizar um tanque de nitrogênio líquido. Essa substância reduz a temperatura a 196 graus negativos em poucos minutos. Incrível, não é?

    Vamos agora entender com mais detalhes como ocorre esse processo.

    Do momento da decisão até o congelamento: entenda como acontece em 4 passos

    Ao decidir optar pelo congelamento de óvulos, a primeira coisa a ser feita deve ser agendar uma consulta em uma clínica de reprodução assistida. Lá, o especialista guiará a mulher pelo tratamento, que tem o seguinte passo a passo:

    1. Exames iniciais

    O médico solicitará uma série de exames com o objetivo de verificar a saúde da paciente de forma geral. 

    Ele também verificará o estado de sua reserva ovariana. Essa etapa é importante para determinar como a próxima será executada.

    2. Indução da ovulação

    Em um ciclo menstrual regular, apenas um folículo ovariano é recrutado e um óvulo é liberado. Na indução da ovulação, por outro lado, o objetivo é estimular o ovário a produzir o maior número de folículos possíveis em um ciclo.

    O tratamento é feito com o uso de hormônios injetáveis. A dose hormonal deve ser personalizada de acordo com cada organismo e é definida a partir da consulta inicial e dos exames requeridos pelo especialista.

    Vale ressaltar que as injeções são subcutâneas, simples de serem ministradas pela própria paciente e causam pouca dor ou desconforto.

    3. Coleta dos óvulos

    Após aproximadamente 12 dias de tratamento, é realizada a captação dos óvulos.

    Esse procedimento é conduzido em ambiente cirúrgico e a paciente recebe uma sedação leve. Tudo ocorre por meio de um ultrassom endovaginal com uma agulha acoplada, que irá aspirar os óvulos dos folículos.

    4. Criopreservação

    Assim que todos os óvulos são coletados, eles passam pela avaliação de um embriologista e apenas os óvulos maduros (aqueles com potencial de serem fertilizados no futuro) serão congelados.

    Antes de serem armazenados, os óvulos passam por um processo de congelamento chamado de vitrificação. Essa técnica retira o líquido presente no interior da célula para evitar a formação de cristais de gelo, que poderiam danificar os gametas.

    Após o preparo, os óvulos são armazenados em nitrogênio líquido.

    Quais são os valores envolvidos no congelamento de óvulos

    Como você pôde perceber, o congelamento de óvulos, embora aparente ser simples, requer muitas etapas que demandam insumos específicos, estrutura laboratorial e um corpo clínico qualificado.

    O valor cobrado pelo processo envolve os custos:

    • dos honorários médicos,
    • dos medicamentos,
    • da internação em bloco cirúrgico e
    • da criopreservação propriamente dita.

    Além disso, é necessário contribuir com uma taxa anual de armazenamento para manter os óvulos congelados no tanque de nitrogênio líquido.

    Mas, mais importante do que pensar em valores, é preciso refletir a respeito dos benefícios que esse tratamento pode trazer para a vida da mulher.

    Qual a relação entre congelamento de óvulos e empoderamento feminino

    Diferente do homem, que produz espermatozoides a todo tempo, as mulheres já nascem com todos os óvulos que liberarão ao longo de sua vida, que somam em torno de 2 milhões.

    Na primeira menstruação, também conhecida como menarca, estima-se que apenas menos da metade desses gametas ainda existam.

    Além disso, a cada ciclo menstrual regular apenas um óvulo é liberado, mas cerca de 1.000 se degeneram por um processo conhecido como morte celular programada. Esse número pode ser ainda maior se a mulher tiver maus hábitos de vida, como tabagismo, abuso de drogas, etc.

    Dessa forma, à medida que o tempo passa, a reserva ovariana diminui, de modo que mulheres com mais de 35 anos podem apresentar dificuldades para engravidar.

    Hoje, as mulheres ocupam o mercado de trabalho e precisam se dedicar muito para se consolidar financeira, profissional e também emocionalmente, antes de realizarem o sonho de serem mães (isto é, no caso daquelas que têm esse desejo).

    Com o congelamento de óvulos é possível escolher o melhor momento para exercer a maternidade e ganhar um bom tempo para se planejar.

    Isso não é ótimo?

    Você gostou de saber mais sobre o assunto? Então, não pare por aqui! Leia o nosso artigo sobre os 5 principais custos do tratamento de Fertilização in Vitro.

    Para ler

    Em seguida