Anabolizantes impedem produção de células e causam infertilidade

Além de doenças hepáticas e câncer no fígado, hormônios para acelerar ganho de musculatura podem levar à baixa de óvulos e espermatozoides

O uso de esteroides anabolizantes pode causar a infertilidade tanto em homens como em mulheres. A testosterona sintética ocasiona o bloqueio da produção de espermatozoides e a interrupção da menstruação. De acordo com a Dra. Cláudia Gomes, médica especialista em reprodução humana do Grupo Huntington, a dose de testosterona muito acima do normal presente no organismo inibe no cérebro a produção de FSH, hormônio responsável pela maturação das células reprodutivas.

“A busca por um corpo musculoso através dos anabolizantes pode levar à infertilidade parcial ou total em ambos os sexos. A boa notícia é que, com a suspensão da droga, o corpo volta produzir espermatozoides no homem, e a menstruação se regulariza na mulher”, observa a Dra. Cláudia. A médica ainda ressalta que a utilização de anabolizantes pode ocasionar a diminuição dos testículos e interferir no endométrio, dificultando a fixação do embrião na parede do útero e provocando o aborto.

“O organismo da mulher possui pouca testosterona e, por isso, o uso de anabolizantes influencia ainda mais na fertilidade feminina”, observa. Apesar de os homens normalmente já possuírem testosterona em maiores quantidade que as mulheres, sua utilização, mesmo que em pouca quantidade, pode debilitar as funções reprodutivas parcialmente, diminuindo as chances de ter filhos.

Se o casal tem expectativas para engravidar, e um dos dois, ou mesmo ambos, tomam anabolizantes, é aconselhável que se interrompa a utilização. A médica observa que, após três meses da parada com a substância, o organismo já pode voltar ao normal. Se mesmo assim o casal continuar tentando e não conseguir engravidar, é importante que procure um especialista para verificar o que está ocorrendo. É possível, até, que o insucesso na gravidez possa estar ligado a outros fatores que causam a infertilidade que não diretamente o anabolizante.

Muitas vezes, o homem já tem naturalmente uma baixa contagem de espermatozoides e a mulher está em uma idade de declínio fértil, em que quantidade e qualidade de óvulos já não possibilitam uma gravidez fácil, por exemplo.  Além disso, os anabolizantes podem causar doenças que vão além da infertilidade, e podem ser fatais. “A testosterona geralmente é administrada em doses adequadas e com indicações específicas para corrigir algumas doenças e deficiências hormonais. Seu uso indevido pode levar a desfechos mais graves como a insuficiência hepática e o câncer de fígado”, alerta Dra. Cláudia.

Sobre o Grupo Huntington

Criada em 1995, a Huntington Medicina Reprodutiva é um dos maiores grupos do Brasil, com cinco unidades instaladas em São Paulo e uma nova unidade em Campinas. Sob a direção de Paulo Serafini e Eduardo Motta, renomados especialistas na área, o grupo é referência nacional e internacional em tratamentos para fertilidade. A Huntington possui corpo médico e técnico-científico altamente capacitado, que se destaca na prática clínica, cirúrgica e tecnológica. Os principais tratamentos utilizados atualmente são: Inseminação Artificial, Fertilização in Vitro, além de técnicas de reversão de vasectomia e de laqueadura, entre outras. Visite www.huntington.com.br